Artigo

Facebook, Google e Apple já conhecem o seu rosto. O que vem agora?

No filme Minority Report, tem uma cena em que o policial John Anderton (Tom Cruise) anda por um corredor onde propagandas contextualizadas são direcionadas a ele. O ambiente o reconhece automaticamente pela íris, chama pelo seu nome e apresenta ofertas específicas. Parece futurístico. Mas isso é possível, não usando a íris, mas o seu próprio rosto. Veja a cena:

Eu gosto deste filme porque mostrou, em 2002, várias tecnologias do futuro que estão muito próximas de estarem acessíveis (O filme se passa em 2054), como:

Carros voadores:

Jet Packs:

Aliás, pra voar, este Flyboard é bem mais legal:

Leitura da mente (feito pelo Facebook):

E principalmente, o principal argumento do filme: a prevenção de crimes, que no filme, é feito pelos Precogs, seres capazes que observar o futuro e indicarem possíveis vítimas e criminosos.

Se você for sacar dinheiro no caixa automático, já deve ter percebido que logo acima do monitor tem uma câmera que filma seu rosto o tempo todo (se não percebeu, vai começar a reparar a partir de hoje). Também existe uma que filma enquanto está no caixa com atendimento, mas talvez esta não seja tão óbvia. Já existem sistemas de reconhecimento facial que atuam dentro dos bancos e podem saber se é você mesmo que está sacando o dinheiro. Este sistema provavelmente já é usado para pegar fraudes ou saques com cartão roubado de forma bem discreta. O sistema provavelmente também já sabe que você empresta o cartão a um parente e ele faz saques no seu lugar. Claro que isso para ser usado em larga escala, precisa de regulamentações e aperfeiçoamentos, mas tenho certeza que já é usado em alguma escala dentro dos bancos. No próprio filme, é dito pela inventora dos Precogs: “Quem quer um sistema de justiça que levante dúvidas?”

Como isso funciona?

Você já deve ter visto que quando publica uma foto com amigos no Facebook, o mesmo pede pra marcar uma pessoa da sua rede de relacionamento, e até sabe em que posição da foto ela está. Meus parabéns! Você está ensinando o Facebook como é o rosto dos seus amigos nas suas fotos. Nem preciso dizer que você já ensinou bastante quem é você, apenas publicando as fotos da sua selfies, certo? Isso se chama Machine Learning, que nada mais é do que um método que faz os computadores aprenderem padrões, no caso, o seu rosto é um padrão.

Este serviço de reconhecimento de imagens está disponível para compra por várias empresas, como por exemplo a Amazon AWS, com seu serviço Rekognition, portanto, não ache que é algo fora do seu alcance, pelo contrário, custa apenas US$ 1,00 por milhão de imagens processadas.

Veja o Amazon Rekognition:

O mesmo raciocínio se aplica ao Google, que também sabe quem é você, bastando para isso utilizar os serviços de Google fotos ou qualquer outro. Lembrando que o seu celular Android, com o Google capturando buscas, preferências e etc.. já sabe onde você mora, pra que time torce, restaurantes que frequenta.

Bom, isso também é feito pela Apple, quando você usa o Iphone, seguindo a mesma ideia! O novo Iphone X já possui recurso de conhecimento facial. A Microsoft faz isso quando você usa o Xbox Kinect, Office 365, Windows ou o Linkedin.

Enfim, não preciso dizer que os grandes players do mercado de tecnologia já estão fazendo de tudo pra saber como é o seu rosto e isso tem um motivo: Reconhecer quem é você no dia-a-dia através das máquinas.

Estima-se que o Facebook já tem guardado aproximadamente 1.2 bilhão de rostos em seu banco de dados e isso tem um valor inestimável.

Dentro de muito em breve estes mesmos players poderão começar a disponibilizar este serviço de reconhecimento facial em integrações com outras empresas e plataformas afim de potencializar negócios ou diversas outras atividades.

O exemplo que citei no começo, do reconhecimento para propaganda personalizada, é apenas um exemplo muito simples, pois as possibilidades podem ser infinitas:

– Pense num carro que só liga se o verdadeiro dono estiver ao volante.
– Um banco que reconhece uma pessoa que passa pela porta e pode ter uma extensa ficha criminal. A polícia já é acionada.
– Uma pessoa que vai pedir um empréstimo, mas vive reclamando que está sem dinheiro no whatsapp (que pertece ao Facebook). O empréstimo é negado.
– Você vai fazer um seguro de vida, mas o histórico das suas buscas indicam que você pode ter câncer. O seguro é rejeitado.
– A receita federal que fez você cair na malha fina porque suas fotos do facebook indicam padrão anormal de consumo (isso aliás já é feito, mas manualmente. Imagine o facebook estimar sua renda através das suas fotos).
– Você vai fazer uma compra na loja e o vendedor indica que só aceita dinheiro da sua parte porque já descobriram que é você e cruzaram os dados com o Serasa. Cheques? Nem pensar.
– A sua Smart TV que pode saber se é você ou seus filhos que estão na frente e direciona propagandas específicas: brinquedos pra sua filha, carros elétricos pra você.
– A multa de trânsito que chega na sua casa já com o condutor indicado.
– O assaltante de loja que tem automaticamente sua identidade revelada logo depois do roubo porque a câmera da loja o gravou.

Todos estes exemplo podem ser apenas a ponta do iceberg para um mundo mais direcionado pela Inteligência Artificial. A capacidade das máquinas em aprender como é o nosso mundo através de sons, fotos e vídeos dá a elas a capacidade de reagirem de forma inimaginável por nós, meros mortais.

É normal que boa parte desta tecnologia se desenvolva principalmente no segmento bancário (fintechs), seguros (insurtechs) etc.. afinal, é onde existe dinheiro para pagar todo o investimento que ela necessita.

Mas nem tudo são flores, o problema de tudo isso é a utilização para violar privacidade ou o uso indiscriminado de toda esta informação, para crimes, espionagem, extorsão, guerras (O segmento militar é outro que tem muito dinheiro pra investir).

O filme do Eduard Snowden explica muito bem isso. Assista o trailer com atenção:

Você acha que não usarão pricipalmente para fins militares e espionagem? O presidente da Rússia, Vladimir Putin já disse: “A nação que dominar a Inteligência Artificial, governará do mundo”

https://www.theverge.com/2017/9/4/16251226/russia-ai-putin-rule-the-world

Veja o que o donos destes grandes players de tecnologia pensam sobre a AI.

http://www.iot24x7.com.br/previsoes-de-inteligencia-artificial-perigos-e-possibilidades/

Enfim, se você ainda não tinha muita noção das mudanças que ocorrerão em nosso mundo nos próximos 5 anos.. 10 anos.. pode acreditar, aquilo que vimos nos filmes 2001 – Um odisséia no espaço, AI, Blade Runner, Minority Report.. está mais próximo do que você imagina, se é que já faz parte da sua vida e você ainda não percebeu.

Não acredita? Então faça um teste! Peça para um amigo sacar uma quantia anormal do caixa automático com seu cartão do banco, no começo da noite. Veja o que acontece.

Hoje já existe um debate sobre Inteligência Artificial promovido por Harvard. Veja no http://ai-initiative.org. Agora o debate chega a sociedade e realmente precisamos debater o futuro com a IA, quais os riscos e limites que devemos obedecer bem como ações imediatas e futuras que podemos e devemos tomar.

Pra encerrar, tem uma cena muito interessante do filme que mostra o policial John Anderton comprando drogas de um traficante. Quando ele olha para o rosto do traficante, o traficante não tem olhos. Conheço muitas pessoas que evitam rede sociais em geral, whatsapp, instagram.. Querem manter a privacidade? Aversão à novas tecnologias? Medo do futuro? Toda vez que ouço isso, eu me lembro deste cara. Fugir da tecnologia é o mesmo que perder os olhos no futuro.

Autor: Marcelo Okano
Linkedin: https://www.linkedin.com/in/marcelookano/

Ver mais posts

Artigos relacionados

Close