Artigo

Na Indústria 4.0, a máquina pensa e opera

Hoje, refrigeradores, relógios, caminhões, carros de passeio, lavadoras, sapatos e até os cães (com suas coleiras) podem ser monitorados 24/7. A chamada Internet das Coisas avança pelo mundo e impulsiona o consumo inteligente, ressalta texto do “El País”.

Da mesma forma, o monitoramento das máquinas permite que as organizações identifiquem erros operacionais antes que eles ocorram, evitando desperdícios. As empresas que se antecipam aos problemas otimizam suas atividades, agilizam suas cadeias produtivas e atendem melhor seus clientes.

Esse movimento é explicado por Mariano Garrido, arquiteto de soluções industriais em IBM. “A revolução industrial trouxe as máquinas, a internet, a computação. A revolução 4.0 engloba todo esse universo”, diz ele, que completa: “É mais complexa, mas tem mais capacidade de processar dados e fazer máquinas mais inteligentes”.

Caminhões Volvo conectados

O transporte é um setor que tem conquistado grandes avanços. “Nosso interesse é que o cliente reduza as despesas com manutenção”, afirma Jorge Moreno, diretor de soluções da Volvo Trucks. O segredo está na conectividade dos caminhões.

Por meio de sensores, um sistema de detecção de anomalias avisa quando há uma possível falha em um equipamento. E a equipe é informada antes que o problema se instale. “Atualmente parametrizamos seis elementos do caminhão, aqueles que são os mais graves”, aponta Moreno. “Nossos engenheiros estão trabalhando para aumentar esse escopo para mais e mais elementos”.

Pesquisas da Volvo na Europa mostram que o sistema preditivo pode reduzir em até 60% os custos com manutenção. O monitoramento eficiente aumenta a vida útil dos caminhões e pode impactar nos preços dos fretes, além de repercutir positivamente no aumento da segurança das estradas.

SAP e o software inteligente
Carlos Chicharro, técnico em sistemas preditivos da SAP, revela que há tempos as empresas de transporte queriam saber apenas a localização do caminhão, se atrasou ou quantas paradas ele fez. “Agora querem saber tudo. Interessa se o caminhoneiro ficou parado sob o sol, se a parada pode influenciar no produto que transporta, se houve muitas vibrações na viagem e como foi feito o armazenamento”.

O veículo é um elemento integrado ao negócio. “Sabemos como se comporta a temperatura do motor ao longo dos anos. Mas é preciso cruzar esse dado com o calendário de manutenção”, explica Chicharro. Com esses dados, os mecanismos de análise avançada criam algoritmos que antecipam o tempo de vida do veículo.

Ele ressalta que o software da SAP não elimina os erros automaticamente. “Vamos estudando o modelo, adaptando, e corrigindo até que funcione”. Os técnicos que se encarregam de modificar estes algoritmos são os mesmos que configuram cada máquina.

O serviço de manutenção industrial pode ser aplicado em todos os setores – transportes, energia, gestão de prédios e de cidades. A empresa finlandesa KONE desenvolveu com a IBM um sistema de Internet das Coisas que permite monitorar um elevador em tempo real 24/7. A aplicação utiliza dados em nuvem, antecipa deficiências, e facilita o trabalho de manutenção.

Esta solução oferece um pacote personalizável para responder às necessidades individuais de cada elevador e de cada edifício. Um projeto-piloto foi implantado em quatro elevadores na Suécia, Finlândia, França e EUA. Um computador conectado a sensores transmite dados em tempo real – ao todo a KONE monitora 200 parâmetros. O sistema estará disponível comercialmente até o final de 2017, e pode interligar mais de um milhão de elevadores e escadas rolantes em nuvem.

Ver mais posts

Artigos relacionados

Close