Artigo

5 motivos pelos quais os desenvolvedores brasileiros deveriam aprender sobre IoT

1 – Potencial de mercado

Em 2021, mercado brasileiro de Internet das Coisas será de US$ 3,29 bilhões. É evidente que a Internet da coisas ou em inglês “IOT – Internet of things” vai mudar radicalmente como vivemos e fazemos negócios. Em 2022, cerca de 50 bilhões de objetos serão ligados entre si na Internet. A Internet das Coisas (IoT) está mudando rapidamente o modo como vivemos e nos comunicamos impulsionando o que está sendo chamado de a “Quarta Revolução Industrial”.

O governo brasileiro não quer ficar pra trás e está lançando o Plano Nacional da Internet das Coisas no 2º semestre. Podemos dizer que o nosso país está muito atrasado em relação a outros países que já possuem programas avançados e mais sofisticados com forte apoio da indústria e das empresas de tecnologia, como por exemplo a Alemanha com sua estratégia chamada de Industrie 4.0, cujo objetivo é tornar o país uma potência em manufatura avançada com apoio de tecnologias digitais.

2 – Necessidade de mão de obra

Se a mão de obra em tecnologia no Brasil já é ruim e escassa, imagine como vai ficar no futuro quando a necessidade e a complexidade de conhecimento aumentar. Quem vai desenvolver os hardwares necessários para esta nova tendência? Quem vai programá-los? Quem fará o design? Quem vai construir os sistemas em Cloud? Quem vai entender todo o complexo ecossistema que envolve a Internet das Coisas? Vamos trazer tudo de fora do Brasil? Não tem jeito, pois esta revolução será feita pelos próprios brasileiros e quem estiver melhor preparado vai assumir as melhores posições.

3 – Deficiência das faculdades

Se hoje, boa parte das faculdades brasileiras estão totalmente descoladas da realidade do mercado de trabalho, imagine quando o mercado começar realmente a exigir habilidades em: design thinking, inteligência artificial, transmissão usando LPWAN, protocolos do tipo MQTT, CoAP, 6LoWPAN, Zigbee, BLE só pra citar alguns, além tecnologias de Big Data, NoSQL e etc..

Você acha que algum curso vai conseguir acompanhar isso? Com certeza não! A Internet da Coisas exige conhecimento em várias áreas diferentes que não se cruzam numa grade curricular de faculdade, ou seja, mistura Engenharia, Ciência da Computação, Matemática, Telecomunicações, Eletrônica e muito mais.

4 – Empregabilidade e Salário

Hoje os profissionais sêniors de data science, big data, cloud computing já recebem salários que variam de 10 a 30 mil reais mensais e são muito disputados no mercado. Isso vai ser alavancado com a Internet das Coisas a um outro nível. Somados aos outros 2 fatores anteriores, dá pra concluir que o conhecimento em IoT vai permitir um ganho salarial e aumento de empregabilidade substanciais no futuro para profissionais deste segmento.

5 – A sopa de tecnologias trará maturidade

Para que um desenvolvedor possa conhecer todo o stack de tecnologias de IoT, ele vai precisar se envolver em áreas que não está acostumado como: Eletrônica, Hardware, Telecomunicações e etc.. Isso fará com que ele expanda o seu conhecimento, exigindo outras habilidades e deixando de olhar apenas para códigos, algoritmos, frameworks e IDEs. Ele vai parar de achar que o trabalho se resume a escrever a sintaxe de uma linguagem de programação e talvez atinja a maturidade necessária para que possa enxergar um serviço de tecnologia ou produto por completo, desde a sua concepção até o seu lançamento ao mercado.

Ver mais posts

Artigos relacionados

Close